Empresa de tradução e grandes projetos: como gerenciar seu tempo

São tantas as áreas de tradução que lidamos em nossa profissão! Artigos médicos, textos jurídicos, documentos, trabalhos acadêmicos…manuais de usuários, as empresas de tradução recebem um enorme volume de pedidos de tradução de diversos idiomas – e para diversos idiomas. Quem trabalha em uma dessas empresas sabe que o tempo é curto e a deadline é tudo, mas nem sempre é fácil gerenciar o tempo. Para te ajudar, organizamos aqui algumas dicas para você aplicar no seu dia-a-dia.

Empresa de tradução empresa de tradução Empresa de tradução e grandes projetos: como gerenciar seu tempo Empresa de tradu    o

Planeje seu tempo

Essa é uma dica que vale para todo emprego e parece batida, mas nunca é demais reforçá-la. Às vezes, você recebe (ou assume por conta própria) diversos projetos, pequenos ou grandes, e quando percebe já tem tantos trabalhos com deadline para daqui a dois ou três dias que juntos parecem mais uma Bíblia a ser traduzida.
Calcule o tempo que você demora para traduzir uma lauda e a partir daí estabeleça quantos projetos (pequenos, médios ou grandes) você pode traduzir em um determinado período. Se você não tem certeza, faça estimativas, mas nada absurdo. Lembre-se que você não é uma máquina: eventualmente, você precisará se afastar um pouco, respirar, comer algo ou tomar um café, para depois voltar e se concentrar.
Focar no que e no quanto você consegue produzir é essencial para realizar trabalhos bem feitos e com bons resultados. Trabalhos feitos com pressa e com pouca revisão podem sair com um resultado abaixo do que você sabe que consegue produzir, mas não pôde por falta de planejamento.

Conheça seu campo

Começar a traduzir um texto assim que o recebe pode não ser a melhor das ideias. O ideal é que você tenha conhecimento pleno sobre ele, mais até do que a empresa de tradução que o enviou. É uma tradução técnica, uma tradução jurídica ou médica? Se for mais relacionado ao marketing, ele te permitirá sair um tanto da literalidade, sem não, tem ser exato e mantendo mais o sentido geral?
Pra quem ele é direcionado – para a população em geral ou um grupo específico de investidores, por exemplo?
Ter em mente o público que o lerá e o tom que ele precisa ter é essencial para uma tradução de sucesso. Entenda o que ele é, para quem ele é, como ele tem que ser escrito – e só aí comece a tradução.

Atenção na literalidade

Todo tradutor sabe que a literalidade pode ser sua melhor amiga ou grande inimiga. Conhecer seu texto aqui é igualmente importante; conversar com a agência de tradução ou diretamente com o cliente pode te ajudar a entender melhor até onde as palavras devem ser levadas ao pé da letra.
Artigos de economia ou de engenharia, por exemplo, são textos técnicos, com muitas terminologias que não dão margem para várias traduções (algumas vezes elas sequer possuem correspondentes para o idioma alvo). Não é que o tradutor não precise ter criatividade – mas esse tipo de serviço de tradução há fraseologias próprias, o que limita a imaginação na hora de escrever.
Uma matéria ou artigo jornalístico, um livro de ficção ou não-ficção ou uma carta pessoal podem ser traduzidas de forma menos literal, mas isso não quer dizer que a tradução seja mais fácil. A tradução editorial precisa ser muito bem pensada, levando em consideração o ritmo e a intenção desejada pelo autor original. Precisa-se analisar com cuidado, também, as expressões típicas de um idioma, e ver como estas podem se adaptar no outro idioma.
Para complicar ainda mais, existem casos em que palavras técnicas fazem parte do texto, como, por exemplo, um romance que se passa em um hospital, onde são usados diversos termos médicos muito precisos, e como essas palavras possuem significados nas entrelinhas, nas sensações que o autor pretende instigar em seus leitores.

Resumindo: não é fácil. Leia seu texto uma, duas, quantas vezes forem necessárias, antes de começar a traduzir.

Pratique scanning e skimming

“Scanning“ significa escanear, explorar. Em tradução, scanning é a técnica usada para fazer uma varredura do texto, captando a ideia geral e detalhes relevantes. Desse modo, você economiza tempo lendo rápido e retendo as informações centrais.
“Skimming“ é uma técnica parecida, mas usada sobretudo quando o texto não possui tantos detalhes ou especificidades, abordando mais assuntos gerais. Relatórios e trabalhos acadêmicos, por exemplo, são redigidos em um formato onde a pessoa que lê possa passar os olhos sem ter que ler palavra por palavra e ainda assim ter uma compreensão geral sobre o que está sendo apresentado. Atualmente são várias as formas de se usar o “skimming“, ensinadas até em palestras e workshops, para agilizar a leitura e se ater ao que interessa.

Organize-se!

Em todo trabalho onde o tempo é o bem mais precioso e que mais acaba antes que a gente perceba (e qual trabalho não é assim?), organização é fundamental. Arrume sua bagunça, seja ela na sua mesa de trabalho, no seu escritório, ou até mesmo no seu computador. Mantenha por perto somente o que importa, e não se deixe cair na procrastinação das redes sociais ou de qualquer outra coisa por perto. Monte agendas, crie to-do lists, deixe a mente concentrada pra qualquer desafio que a agência ou a empresa de tradução te trouxer.

Comunique-se com sua empresa de tradução

Está com problemas com o projeto? Não se desespere. Fale com seu gerente de projetos. Muitas vezes um problema pequeno torna-se grande e vai se multiplicando ao longo do texto. Conversar com sua agência de tradução costuma a otimizar o tempo. Perde-se alguns minutos nas trocas de e-mails, mas no final, resolver um problema junto com seu parceiro de traduções é melhor do que resolver vários problemas sozinho.

O mesmo serve para problemas técnicos. Que tradutor não enfrentou uma situação assim. Imagine-se abrindo sua Cat Tool, como o Trados por exemplo, iniciando o projeto e só depois percebendo que o Termbase não funciona. Resolver isto logo no início do projeto é fundamental!